Ginecologista e Obstetra. Tel: (11) 5053-2222 email: [email protected]

8 perguntas sobre Menopausa

Marcar consulta com ginecologista e obstetra em são paulo

1 - Quando a mulher entra na Menopausa qual deve ser a frequência de visitas ao ginecologista? Existe uma ideia equivocada de que não precisa mais ir ao ginecologista, por que isso acontece? Falta de informação?

A mulher após a menopausa deve manter a periodicidade de visitas ao ginecologista de pelo menos uma vez ao ano. É errada a idéia que com a chegada da menopausa os problemas ginecológicos acabam. Muitas mulheres tem em mente que como não menstruam mais não tem que fazer exames e outras que diminuem ou cessam sua vida sexual também não precisam faze-lo. Porém, esta iniciativa é equivocada, após a menopausa também ocorrem doenças que devem ser prevenidas.

2 - Nesta fase da vida da mulher, qual o papel do ginecologista? Seu papel se torna mais amplo, como um clínico geral?
Após a menopausa o ginecologista é responsável por acompanhar as mudanças no funcionamento do corpo da mulher e prevenir doenças que vem com a idade e tratá-las, como por exemplo, a osteoporose, infecções, certos tipos de câncer que prevalecem nesta faixa etária (mama, endométrio). O ginecologista se torna o "Clínico Geral" da mulher, diagnosticando e encaminhando estas mulheres ao especialista.

3 - Qual a diferença entre Climatério e Menopausa, ainda existe confusão a respeito?
Climatério é o período que antecede a menopausa, tem duração variável e esta associada a irregularidade menstrual, calores, unhas e cabelos mais fracos e alterações de humor. A menopausa ja é caracterizada por 1 ano sem a presença da menstruação podendo ocorrer os sintomas associados ou não.

4 - A Menopausa pode vir associada a outras doenças?

Sim, a menopausa esta associada a mudança do perfil lipídico da mulher, portanto aumenta o risco de doenças cardíacas em mulheres predisponentes. Ocorre também perda de massa óssea associada a Osteoporose. Após a menopausa aumenta-se o risco de determinados tipos de câncer, como de mama e endométrio.

5 - Quais riscos de doenças para a mulher na terceira idade, elas estão mais suscetíveis a alguma doença ginecológica?
Sim, aumentam a incidência de cistos e nódulos de mama, cistos ovarianos, Câncer de mama, endométrio e ovário, e presença de pólipos uterinos e de uretra.

6 - Quais são os exames periódicos indicados para esta fase da vida?

É importante que a mulher após a menopausa vá ao ginecologista anualmente e realize: Papanicolau, Mamografia, Densitometria óssea, ultrassom Pélvico e de abdome total, assim como Ultrassom da Mamas. Importante realizar também uma série de exames laboratoriais que incluam: hemograma, colesterol, exames tireoidianos, dosagens de vitaminas e exame de fezes.

7 - A diminuição na produção de hormônios afeta o desejo sexual a partir dos 60 anos? É possível continuar a ter uma vida sexual ativa?
O desejo sexual da mulher dimunui após a menopausa pela queda na produção dos hormônios. É possivel manter vida sexual ativa repondo hormônios em pacientes que não tem contra indicações para usá-los; fazendo uso de lubrificantes vaginais na hora da relação; e, o mais importante, mantendo-se ativa, com hábitos de vida saudável, exercícios físicos e alimentação balanceada.

8 - Quando a reposição hormonal é necessária? Existem métodos alternativos? - Quais recomendações para uma boa saúde e qualidade de vida na terceira idade?
A reposição hormonal é indicada para mulheres que apresentam sintomas como perda de massa óssea, alterações de humor, aumento de risco cardíaco, mas só deve ser usada por mulheres que não tenham contra indicações ao uso hormonal. Como medidas gerais para esta fase manter-se ativa, praticar exercícios físicos, cuidar da alimentação são essenciais para se adaptar e prevenir as complicações associadas a menopausa.

 

Autor: Dra Juliana Amato

Marque sua consulta agora

Agende já